O que é sexo virtual?

30 de Abril de 2016

O que é sexo virtual?

Tem muita gente que se pergunta: o que é e como se faz sexo virtual? E a coisa é muito simples. Duas pessoas num bate papo apimentam a conversa desviando o assunto para o sexo, e através de palavras sugerem o que fariam ou gostariam que o outro fizesse numa relação sexual.


Como muitos não entendem a lógica de funcionamento do sexo virtual, o coitadinho torna-se vítima de preconceito, alguns acreditam ser ridículo e até mesmo doentio ficar em frente ao computador imaginando ou fazendo coisas que não podem ou não querem concretizar, idealizando uma pessoa do outro lado e se excitando e se masturbando com isso. Vendo por essa ótica, até pode parecer mesmo uma coisa de louco, mas o sexo virtual não é pra ser assim.


Mesmo pela internet, as palavras têm o dom de suscitar emoções, alegria, tristeza, carinho, saudade e por que não tesão? É aí que entra o sexo virtual. Ele pode muito bem ser usado como aliado para apimentar a relação. Imagine você conversando pela rede com sua parceira, ou parceiro, e sugerindo o que gostaria de fazer quando se virem.


Os beijos, as lambidas, as chupadas, as mordidas, os toques. É impossível ler essas mensagens sem passar pela cabeça as imagens e as sensações destas carícias. Mexe com o imaginário de qualquer um, logo, o cérebro já envia lá pra baixo uma mensagem imediata e muito clara: EU QUERO SEXO! E é natural que, na ausência do parceiro, o que lhe resta é dar uma pausa na digitação, e usar as mãos para... Se masturbar.


Além disso, o sexo virtual pode ser usado como arma de sedução na conquista, quando você insinua à pessoa desejada o que você faria com ela na cama isso pode lhe trazer alguns benefícios. Ou seja, se você mandar bem na descrição, pode dar a entender que você também mandará muitíssimo bem na Hora H. Ponto pra você. Mas o que vale mesmo é o vamos ver presencial, com toques e cheiros que nunca poderão ser substituídos de maneira alguma.


Pra encerrar, lembram do velho “faça amor, não faça guerra”? Pois é, aproveitando a ocasião, que tal um novo conselho? “Faça sexo virtual, não faça e-mail de corrente nem mande vírus”!